Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site.
Ao utilizar nosso site e suas ferramentas, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

GAP Cursos & Concursos - Política de Privacidade

Esta política estabelece como ocorre o tratamento dos dados pessoais dos visitantes dos sites dos projetos gerenciados pela GAP Cursos & Concursos.

As informações coletadas de usuários ao preencher formulários inclusos neste site serão utilizadas apenas para fins de comunicação de nossas ações.

O presente site utiliza a tecnologia de cookies, através dos quais não é possível identificar diretamente o usuário. Entretanto, a partir deles é possível saber informações mais generalizadas, como geolocalização, navegador utilizado e se o acesso é por desktop ou mobile, além de identificar outras informações sobre hábitos de navegação.

O usuário tem direito a obter, em relação aos dados tratados pelo nosso site, a qualquer momento, a confirmação do armazenamento desses dados.

O consentimento do usuário titular dos dados será fornecido através do próprio site e seus formulários preenchidos.

De acordo com os termos estabelecidos nesta política, a GAP Cursos & Concursos não divulgará dados pessoais.

Com o objetivo de garantir maior proteção das informações pessoais que estão no banco de dados, a GAP Cursos & Concursos implementa medidas contra ameaças físicas e técnicas, a fim de proteger todas as informações pessoais para evitar uso e divulgação não autorizados.

fechar

Notícias

Quando usar “por que”, “porque”, “porquê” ou “por quê”?

@Fonte: Guia do Estudante

Terça, 20 de abril de 2021

Quando for uma pergunta é separado, quando for uma afirmação… Calma lá, se você pretendia usar esse velho macete vamos logo avisando que ele não funciona tão bem assim. Para entender o porquê, é preciso retomar as classes de palavras e um pouquinho de sintaxe — o estudo da função das palavras em uma oração e como elas interagem entre si. Vamos lá?

- Por que
Trata-se da junção da preposição "por" com o pronome interrogativo "que" ou com o pronome relativo "que".

No primeiro caso, ele assume o significado de “por qual motivo” ou “por qual razão” e pode ser aplicado tanto em frases interrogativas quanto afirmativas. Veja:

Por que ainda não retornaram meus e-mails?
(Por qual motivo ainda não retornaram meus e-mails?)

Você deveria saber por que isso costuma demorar.
(Você deveria saber por qual motivo isso costuma demorar.)

Já no segundo caso, quando o que é um pronome relativo, o “por que” passa a significar “pelo/pela qual”:
Aquela rua por que passamos abriga a melhor sorveteria da cidade.
(Aquela rua pela qual passamos abriga a melhor sorveteria da cidade.)

- Por quê
Também é resultado do por (preposição) + que (pronome interrogativo e por isso também significa “por qual motivo”. A única diferença é que o por quê acentuado só aparece no final de frases interrogativas.

Se a documentação já foi enviada, você está nervoso por quê?

- Porque
O "porque", junto, é uma conjunção (palavra que liga dois termos ou duas orações que têm a mesma função sintática em uma frase). Como se trata de uma conjunção causal ou explicativa, para saber se o porque de uma frase é ou não junto tente substituí-lo por “pois” ou “uma vez que”.

Não foi à festa porque teria prova no dia seguinte.
(Não foi à festa pois teria prova no dia seguinte.)

- Porquê
O "porquê", junto e acentuado, vem sempre precedido por um artigo definido ou indefinido e, por isso, passa a funcionar como um substantivo. Significa razão ou motivo.

Ninguém me disse o porquê da reunião.
(Ninguém me disse o motivo da reunião.)


Outras Notícias